Inovadores com Menos de 35 Anos Brasil A edição em português da MIT Technology Review escolhe aos 10 inovadores com menos de 35 anos

Eduardo Bontempo, 30

Ele criou uma plataforma de ensino adaptativo para personalizar o ensino em escolas e universidades

Geekie

Eduardo Bontempo

Professores e pais sabem que em uma sala de aula existe um grupo muito heterogêneo de alunos e que seu grau de maturidade, suas personalidades, habilidades e interesses divergem muito. É ilusão querer que todos acompanhem no mesmo ritmo, mas mesmo assim o professor tenta fazer com que isso aconteça a qualquer custo. "No geral, a classe irá se adaptar à média do grupo", explica o jovem inovador Eduardo Bontempo. "Muitos conseguirão acompanhar, mas alguns ficarão para trás e outros andarão mais rápido, criando um círculo vicioso e dificuldades de aprendizagem", acrescenta.

Este empreendedor, formado em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas e com MBA no Instituto de Tecnologia de Massachusetts - MIT (EUA), é o criador de uma plataforma de ensino adaptativo chamada Geekie Lab que já foi utilizada por 2,4 milhões alunos de mais de 17 mil escolas no Brasil.

A plataforma Geekie Lab identifica as necessidades educacionais de cada aluno e cria um plano de estudo de acordo com seu ritmo natural de aprendizagem e seus pontos fortes e fracos em determinados assuntos. Para personalizar a educação, Bontempo e sua equipe incorporaram à sua plataforma algoritmos baseados em inteligência artificial, modelos matemáticos, como a Teoria da Resposta ao Item (TRI) e Modelos Gráfico Probabilísticos (MGP) e em fenômenos como o efeito de rede.

O primeiro produto criado pela Geekie, a empresa que Bontempo fundou em 2011 com seu sócio Claudio Sassaki, foi a ferramenta de diagnóstico Geekie Teste, uma avaliação que pode ser usada para ver o desempenho dos alunos em diferentes estágios da vida: ensino fundamental, ensino superior, testes de idiomas, entre outros. Até agora, a principal aplicação desta ferramenta tem sido no ENEM, um exame de admissão ao ensino superior realizando pelos alunos do ensino médio no Brasil.

Mas, além de um diagnóstico, Geekie oferece aos alunos e professores a oportunidade de dar um passo adiante graças a outro produto criado por sua empresa, a plataforma de ensino adaptativo Geekie Lab. Em 2013, a empresa de Bontempo criou os Geekie Games, um evento em que mais de dois milhões de alunos de escolas públicas brasileiras fizeram testes em quatro áreas de conhecimento avaliadas pelo ENEM e receberam um diagnóstico gratuito de seu desempenho em cada uma delas. "Eles puderam comparar suas pontuações com as de alunos de todo o país", lembra Bontempo.

Para cada grupo de deficiências detectadas, Geekie Lab gerou um plano de estudos com "Missões" compostas por diferentes tipos de conteúdo - aulas em vários formatos, exercícios e tutoriais - que ajudou cada aluno a melhorar de acordo com seu perfil de aprendizagem. Bontempo lembra: "Quanto mais os alunos utilizam a plataforma, mais informação conseguimos e maior a precisão desses planos de estudo para cada um." Isso é resultado das ações dos alunos na plataforma "gerar pontos de dados que são captados pelo módulo de inteligência e refletidos nos outros módulos da plataforma."

Segundo a empresa, durante os dois meses dos Geekie Games, os alunos que usaram o Geekie Lab tiveram um rendimento entre 25% e 30% superior ao desempenho dos que não a usaram. Os alunos gastaram, em média, duas horas e 20 minutos na plataforma cada vez que estiveram conectados e 62% deles tinham entre 16 e 20 anos.

Até o momento, Bontempo tem comercializado a ferramenta Geekie Teste para uso na avaliação da competência dos alunos, especialmente em escolas e instituições de ensino superior, para todas as disciplinas do currículo oficial. No entanto, o jovem diz que está começando a direcionar seus produtos para outros segmentos, como alunos do ensino básico (primário e fundamental até o nono ano, também conhecido como K-8), com a vantagem de que esses alunos, por serem nativos digitais, estão "ainda mais acostumados à tecnologia" do que os mais velhos.

Perguntas inteligentes, respostas úteis

Os exercícios do Geekie Teste são de múltipla escolha, contendo apenas texto. No entanto, o conteúdo que os alunos estudarão durante o período pós-diagnóstico - sugerido pela plataforma Geekie Lab - pode conter vídeos, jogos e arquivos em PowerPoint, além de arquivos em outros formatos.

Criar as perguntas certas para extrair informações significativas faz parte do conhecimento que foi usado no desenvolvido do Geekie. Para atingir esse objetivo, eles criaram, internamente, metodologias e modelos que "otimizaram a inteligência da plataforma". Por exemplo, os algoritmos baseados em IRT lhes dão informações sobre se uma pergunta "é boa ou não" e sobre "a competência desse aluno e seus pontos fortes e fracos", diz Bontempo. O MGP, por sua vez, lhes permite prever "todos os pré-requisitos de uma fraqueza específica, detectada em um determinado aluno". Para a análise dos dados utilizam, também, o efeito de rede de forma que os dados coletados por cada indivíduo "beneficiem não só ao indivíduo, mas a todos os alunos conectados à plataforma", resume Bontempo.

Com estes sistemas, Geekie consegue apresentar todos os dados sobre o processo de aprendizagem de uma forma "digerível" para aqueles que estão envolvidos nesse processo (alunos, professores, diretores de escolas). Então, a plataforma ajuda os alunos com o plano de estudos, mas o professor também pode escolher ações específicas para propor ao alunos mais avançado que podem ajudar aos alunos com maiores dificuldades, sugerir conteúdo adicional ou aulas extracurriculares. "Existem estratégias diferentes, mas tendo-se a informação o primeiro passo está dado", diz Bontempo.

O conteúdo que o Geekie Lab sugere aos alunos é fornecido gratuitamente por editores e provedores de conteúdo com os quais a Geekie firmou acordos. Atualmente, existem escolas que só usam o Geekie Teste e outras já usam o Geekie Lab, o produto mais completo, que oferece tanto a possibilidade de diagnóstico quanto a plataforma adaptativa.

Bontempo, filho de professores e desde pequeno sensibilizado sobre a importância da educação, decidiu fundar sua startup depois de vários anos dedicados ao setor de finanças. Ele diz que trabalhou "como nunca antes" para abrir a empresa, mas não se arrepende: "Quando você vê que você está fazendo a diferença na vida das pessoas, não há dinheiro que compre este sentimento", diz ele. Atualmente, o modelo de negócios da Geekie inclui a doação de produtos para escolas públicas brasileiras. O jovem explica: "Para cada Geekie Teste vendido, oferecemos outros a alunos que não podem pagar por ele."

De acordo com a consultora sênior independente da TPG Credit Funds, Paloma Cabello, que participou do júri do MIT Technology Review Inovadores com Menos de 35 anos Brasil, Bontempo mostra as qualidades que este prêmio tem a intenção de reconhecer "ruptura, capacidade tecnológica, visão de transferência ao mercado efetiva e de alto impacto". - Elena Zafra (Tradução: Elisa Matté)

Ganhadores do Inovadores com menos de 35 anos Brasil

Mario Adolfi

Ele desenvolveu um programa de gestão hospitalar para cuidados à saúde em populações carentes

Eduardo Bontempo

Ele criou uma plataforma de ensino adaptativo para personalizar o ensino em escolas e universidades

Para deixar seu comentário, por favor, regístrate ou efetue seu login

Esqueceu sua senha?

Publicidade
Publicidade
Publicidade