Negócios

US$ 1 Bilhão procurando um lar

Uma iniciativa liderada por Bill Gates para financiar avanços em energia limpa terá difículdade de identificar oportunidades suficientes.

  • Terça-feira, 13 de dezembro de 2016
  • Por Nanette Byrnes
  • Tradução por Elisa Matte (Opinno)

O fundador da Microsoft Bill Gates anunciou em 12 de dezembro a formação de um fundo de US$ 1 bilhão para financiar avanços em energia limpa.

Mas arrecadar os US$ 1 bilhão provávelmente será a parte fácil para Gates e a lista longa de idealistas de tecnologias e capital de risco que participam no que é chamado de Breakthrough Energy Ventures. Encontrar os avanços para financiar será muito mais difícil, Gates reconheceu em um telefonema com repórteres sobre o fundo de investimento, que ele vai presidir. "Precisamos percorrer todo o campo e encontrar algumas coisas que de outra forma foram perdidas", disse ele. "Seremos limitados pelas grandes empresas que encontramos".

O fundo vai certamente buscar longe. BEV tem uma lista de 55 áreas de interesse em potencial - tudo, desde a próxima geração de fusão nuclear até a redução das emissões de metano de vacas. Ele os dividiu em cinco categorias: eletricidade, agricultura, fabricação, transporte e construção. O fundo buscará investimentos que possam funcionar não apenas em mercados desenvolvidos como os EUA, mas também nas regiões mais pobres do mundo, onde se espera que as necessidades energéticas cresçam muito mais rapidamente.

Os projetos que receberão financiamento serão determinados por suas perspectivas de redução das emissões de gases de efeito estufa e proporcionando um retorno financeiro aos investidores em um período de 20 anos, o dobro do período de investimento para a maioria dos fundos de capital de risco. As decisões de investimento serão conduzidas por uma equipe de profissionais que a diretoria ainda está montando. Os investimentos provavelmente estarão entre dezenas e centenas de milhões de dólares.

Tecnologias de energia limpa têm lutado nos últimos anos para proporcionar um bom retorno aos investidores de risco. Passar do conceito à implementação comercial é um processo longo e caro, tanto porque a expansão da ciência de laboratório para a produção em fábrica é difícil e porque o apoio de grandes corporações tem falhado. O gás natural barato tornou a economia das novas tecnologias energéticas especialmente desafiadora.

De acordo com um estudo recente, as empresas de capital de risco gastaram mais de US$ 25 bilhões financiando startups de energia limpa de 2006 a 2011 - e perderam mais da metade do dinheiro.

Dois dos mais conhecidos desses investidores, Vinod Khosla de Khosla Ventures e John Doerr de Kleiner Perkins Caufield & Byers, são membros do conselho de Gates. Ambos argumentaram que ainda existe um grande potencial de investimento neste setor. Khosla disse que uma oferta tão grande e nova de financiamento ajudará a atrair cientistas e tecnólogos inteligentes para o campo, semeando uma oferta de novas oportunidades de investimento.

Uma fonte de novos conceitos em energia é a pesquisa fundamental, normalmente realizada com o apoio do governo. Mas se o governo dos EUA pode ser invocado para apoiar o tipo de pesquisa básica que poderia formar a base de empresas elegíveis para o investimento futuro de BEV não está claro.

O ARPA-E, um programa do Departamento de Energia dos Estados Unidos que apóia tecnologias energéticas promissoras ainda não está pronto para o investimento do setor privado, teve algum sucesso com 45 projetos que passaram a garantir US$ 1,25 bilhões em novos investimentos do setor privado. Mas isso é uma fração dos 475 projetos ARPA-E financiou no total.

Como parte do acordo climático de Paris, a administração Obama prometeu os 6 bilhões de dólares de financiamento de P&D para tecnologia limpa que havia reservado. Não se sabe se tais programas continuarão sob o governo Trump.

Gates e outros membros do conselho reconheceram que o apoio federal contínuo dos EUA não estava garantido, mas argumentaram que, se os investimentos puderem ser ligados a empregos e impacto econômico positivo, um argumento bem-sucedido poderia ser feito para eles.

Para deixar seu comentário, por favor, regístrate ou efetue seu login

Esqueceu sua senha?

Publicidade

Vídeo

Inovadores com menos de 35 anos Brasil

Mais Vídeos

Informes Especiais

Uma Cura para os Gastos com Saúde

Os gastos com a saúde estão fora de controle. E a inovação em medicamentos, testes e tratamentos é o motivo. Mas e se a tecnologia pudesse ser uma forma de poupar dinheiro ao invés de gastá-lo?

Ganhando Com Dispositivos Móveis

Publicidade
Publicidade