Informática

Esta Empresa Acha Que Seu Carro Quer um Google Glass

Ter uma tela na altura dos olhos pode ser mais seguro do que olhar para o seu smartphone ao dirigir, mas alguns recursos podem ser uma distração maior do que outras.

  • Quinta-feira, 07 de agosto de 2014
  • Por Rachel Metz
  • Tradução por Elisa Matte (Opinno)


Imagem: Olhos a frente: Navdy, um tela que fica na altura dos olhos para usar no carro, projeta informações como direções de modo que elas pareçam estar flutuando a sua frente.

Se você tem um smartphone, certamente você se sentiu tentado a dar uma olhada em um mapa ou ver a mensagem que apareceu na tela enquanto você estava dirigindo.

Uma startup chamada Navdy está desenvolvendo um dispositivo que lhe permitirá ver essas informações sem desviar o olhar da estrada. Repousando sobre o painel de controle, pode projetar sua velocidade atual, direções e notificações de seu smartphone que parecem flutuar vários metros a sua frente.

À medida que os smartphones se tornam mais atraentes e à medida que os sistemas de entretenimento dos carros passam a distrair ainda mais, o uso de novos tipos de interface nesses veículos pode ajudar a resolver o problema da distração do motorista. Mas a pesquisa mostrou que até mesmo telas projetadas a frente do olhos e interfaces de voz podem ser uma distração se não forem cuidadosamente projetadas.

A empresa de pesquisa de mercado IHS estima que 348 mil carros serão vendidos nos EUA neste ano com telas projetadas, um número bastante superior aos 247 mil milhões de 2013, mas carros com sistemas embutidos tendem a ser caros; além do mais, a maioria dos sistemas deste tipo tende a realizar apenas algumas tarefas simples, como mostrar o caminho ou a velocidade. A Garmin oferece um sistema de US$ 180 que pode ser instalado aos carros, mas tem relativamente poucos recursos e não é compatível com telas a cores.

Navdy começou a receber encomendas de seu dispositivo de 299 dólares na terça-feira. Espera-se que o envio aos clientes seja feito no início de 2015.

Durante recente visita ao escritório da Navdy em São Francisco, o CEO e cofundador da empresa, Doug Simpson, e o chefe de vendas e marketing, Alex Halikias, me mostrou como funciona. É um dispositivo preto e fino que tem, aproximadamente, o tamanho de um prato de salada com uma tela curva e transparente de plástico em uma extremidade e uma pequena tela opaca na extremidade oposta. Para fazer o Navdy funcionar, os dados são enviados via Bluetooth a partir de um aplicativo em um smartphones (haverá suporte para iPhone e Android inicialmente). Um minúsculo projetor projeta a imagem em uma tela pequena através da qual o motorista olha para ver parte da estrada.

Uma câmera infravermelha - que não era embutida no dispositivo que eu vi - permite que o dispositivo reconhece gestos como deslizar a mão para aceitar uma chamada recebida. Você também pode enviar mensagens de texto e tweets fazendo um gesto para acionar o microfone e, em seguida, ditando a mensagem, diz Simpson. Em algum momento, o sistema será aberto para desenvolvedores externos, mas agora no início ele vai trabalhar apenas com uma série de aplicativos, como os de navegação como Google Maps e aplicativos de música como Pandora e Spotify.

Navdy pode impedir o condutor de mexer em seu smartphone, mas pesquisas demonstraram que até mesmo os controles de voz interferem com a concentração dos condutores (veja "Voice Controls Can Be Surprisingly Distracting to Drivers"). Bryan Reimer, pesquisador no AgeLab do MIT, que realizou alguns desses trabalhos com colegas, diz que enquanto as telas projetadas podem ser "muito favoráveis" à atenção do condutor, Navdy parece estar tentando enfiar tudo o que você faria em um smartphone em um dispositivo que pode projetar esse conteúdo. "Devemos nos perguntar: será que realmente precisamos de uma forma melhor de twittar no carro", diz Reimer.

Paul Green, professor de pesquisa do grupo de interface com o motorista do Instituto de Transporte da Universidade de Michigan, diz que se uma tela projetada vai ser uma distração depende de como ela vai ser implementada - se a interface exige que você olhe para alguma coisa ou se é clara o suficiente para que seja fácil de enxergar para ser usada durante o dia ou a noite, por exemplo.

Simpson diz que a Navdy está seguindo as diretrizes da National Highway Traffic Safety Administration (EUA) referentes aos sistemas de informação e entretenimento. "Nossos dois objetivos são, na verdade: tornar os sistemas de entretenimento muito mais seguros, mantendo os olhos dos motoristas na estrada, mas também é transformá-los em uma experiência realmente incrível, que seja muito melhor do que o que temos hoje", diz ele.

Para deixar seu comentário, por favor, regístrate ou efetue seu login

Esqueceu sua senha?

Publicidade

Vídeo

Inovadores com menos de 35 anos Brasil

Mais Vídeos

Informes Especiais

Uma Cura para os Gastos com Saúde

Os gastos com a saúde estão fora de controle. E a inovação em medicamentos, testes e tratamentos é o motivo. Mas e se a tecnologia pudesse ser uma forma de poupar dinheiro ao invés de gastá-lo?

Ganhando Com Dispositivos Móveis

Publicidade
Publicidade