Web

Sebastian Thrun sobre o Futuro da Aprendizagem

Cofundador e CEO da Udacity Sebastian Thrun diz que mais IA está vindo para a educação on-line, mas ainda vamos precisar de seres humanos para dar nota às nossas redações.

  • Segunda-feira, 22 de julho de 2013
  • Por Rachel Metz
  • Tradução por Elisa Matte (Opinno)


Imagem: Mestre dos MOOC: Sebastian Thrun, cofundador e CEO da startup de educação online Udacity.

Sebastian Thrun tem usado muitas camisas no mundo da tecnologia: professor pesquisador de Stanford, fundador do X Labs do Google, onde supervisionou o desenvolvimento de carros de auto condutores e do Google Glass e, mais recentemente, defensor apaixonado dos MOOCs - ou grandes cursos on-line abertos -através da Udacity, a startup de educação online que ele cofundou e dirige (veja "a Tecnologia da Educação mais Importante em 200 anos").

Iniciada em 2012, o objetivo da Udacity é tornar a educação acessível para todos. Todas as classes estão disponíveis gratuitamente na Web e alguns também oferecem créditos universitários por uma taxa de USD$ 150. É uma de um número crescente de startups que oferecem serviços semelhantes. E o momento parece certo: o custo médio de um diploma de bacharel disparou para acima de USD$ 100.000 e a Internet de alta velocidade tem tornado o chamado "ensino à distância" uma alternativa plausível para a sala de aula. MOOCs tem sido aclamados por muitos como o futuro da educação, mas que ainda está em seus primeiros dias, e eles são suscetíveis às dores do crescimento (por exemplo, um dos sócios da Udacity, San Jose State University, disse esta semana que vai suspender suas ofertas de cursos on-line até a primavera, de acordo com um relatório da Inside Higher Ed).

Thrun sentou-se para conversar com a Editora de TI MIT Technology Review Rachel Metz no escritório da Udacity em Mountain View, Califórnia.

A San Jose State University está suspendendo os cursos que vem oferecendo através da Udacity que envolvem alunos tanto do ensino médio quanto da San Jose State, devido às baixas taxas evolução dos alunos no curso, em comparação com as aulas tradicionais e planeja começar as coisas de novo na primavera. Como você se sente sobre isso?

Nós sentimos que temos essas crianças, eles trabalharam muito duro e elas persistiram, mas eles não conseguiram as habilidades necessárias para ser proficientes. Perguntamos o porquê e eles disseram que precisavam de mais tempo. Literalmente, esta é uma decisão verdadeiramente conjunta; estou totalmente por trás dela porque eu sinto que o objetivo deve ser o de dar aos alunos uma boa educação.

Como a aprendizagem on-line mudou desde que você começou a Udacity?

Nós evoluímos o conceito de MOOC em um que realmente ajuda as pessoas ao longo do curso para concluir o curso. As mais recentes taxas de conclusão nos pilotos que estamos rodando têm sido de 85 por cento, contra 5 por cento e 4 por cento, o que é comum na terra dos MOOCs.

Isso é uma grande diferença no número de pessoas começando e terminando uma aula on-line. Como você fez isso acontecer?

Nós fizemos isso principalmente usando dois ingredientes. Um deles é realmente agregar valor notável para os certificados [que os alunos recebem] e a proposição de valor que escolhemos são créditos / diplomas de faculdade, que você não vai conseguir a não ser que você complete o curso. Temos uma instituição parceira - San Jose State University. Nós também estamos trabalhando agora com Georgia Tech para oferecer uma graduação comleta [que terá início em janeiro]. O curso é oferecido por eles, porque não somos credenciados, mas certamente podemos fornecer toda a infra-estrutura e o molho secreto para fazê-lo funcionar.

O segundo componente é que nós também fornecemos serviços estudantis bastante extensos agora. Nós temos pessoas no terreno que ajudam ao longo do caminho. Parece que, se você não fica abandonado sozinho com um sistema de computador, se houverem pessoas falando com você on-line, isso resulta em taxas de conclusão muito melhores. Há uma linha de ajuda, há mentores que o ajudam com o tempo e te lembram de fazer os trabalhos de casa e assim por diante.

Você acha que parte da taxa global de baixa conclusão agora para os MOOCS tem algo a ver com as expectativas do usuário? Os usuários esperam muito e, em seguida, ficam decepcionados?

Mesmo nas instituições de ponta você vai encontrar que os alunos muitas vezes fazem os cursos que dão menos trabalho. Algumas pessoas estão lá para aprender, mas algumas pessoas estão lá para dizer que querem ter um certificado. Às vezes é porque os cursos são muito longos. Muitos MOOCs são como aulas de semestres inteiros e eles são longos para se sentar em cada um. Neste dia e época, quero dizer, se você olhar para os jogos de vídeo-game, que são muito, muito mais curtas e os tweets são mais curtos do que os e-mails, bem, então tudo está se tornando mais curto, mais rápido. Até certo ponto, temos de ajustar a isso.

Não são apenas os estudantes que usam o Udacity - empresas estão usando também, para treinar funcionários e alcançar potenciais empregados, certo?

Temos um monte de empresas parceiras que ... nos forneceram cursos, financiaram cursos, construiram cursos ou trabalharam conosco para construir cursos. A idéia tem sido a de que a força de trabalho moderna realmente precisa ter um certo tipo de conhecimento e é muito mais rápido fornecê-lo através de uma plataforma como a Udacity do que é através de uma universidade convencional.

Primeiro, as empresas descobrem que podem ajudar o mundo a adquirir algumas habilidades. Muitas vezes, as habilidades [se relacionam com] dos seus próprios produtos. Google, por exemplo, escolheu HTML5, que é uma linguagem da internet, como o curso principal e o próprio Google tem interesse que mais pessoas sejam proficiente em HTML5. Mas eles também podem conseguir funcionários e estagiários disso. Qualquer uma destas empresas tem um acordo pelo qual eles têm acesso aos melhores alunos nessas aulas. Encontramos no passado, que os melhores alunos dessas classes competem favoravelmente com os melhores alunos das principais instituições norte-americanas. E muitas vezes os melhores alunos das nossas classes não tinham acesso a importantes instituições de ensino dos Estados Unidos, por várias razões, geográfica, demográfica. Ou às vezes apenas cultural.

O que esses cursos encontram são esses alunos extraordinariamente talentosos, eles lhes ensinam algo muito importante, alguma habilidade e então eles se tornam altamente empregáveis​​. Nós colocamos diretamente dezenas de alunos em empregos, mas sabemos de centenas de pessoas que encontraram empregos com os nossos certificados. E esta é apenas a ponta do iceberg.

Como é a tecnologia na qual você está trabalhando ou pensando que iria tornar os cursos on-line mais envolventes ou interativos?

Nós temos que realmente trabalhar em inteligência artificial, realmente compreender, tipo, onde podemos levar um aluno se eles têm um certo tipo de perfil de aprendizado? Nós fazemos parte disso manualmente agora, então analisamos perfis de alunos, fazemos previsões de quais são as taxas de sucesso e, então, intervimos manualmente com base nas previsões que recebemos dos perfis dos alunos. Mas nós ainda não automatizamos isso. Então, eventualmente, vai ser um grande pedaço de inteligência artificial que vai se sentar lá, assiste você aprender e ajuda você a escolher o local de aprendizagem direito ou a tarefa, então você é mais eficaz e tem mais prazer.

Quanto tempo até chegarmos lá?

Eu acho que um ano, pelo menos.

Que cara isso pode ter no Udacity?

Você pode vir e ele pode lhe perguntar - bem, aqui está um problema, calcular alguma proposição geométrica interessante ou resolver um conjunto de equações e quando você começar a digitar a sua resposta ele pode perceber, uau, você não sabe ao menos o que são frações. Sem ser humilhante para você ele diz, tudo bem, vamos fazer um pequeno desvio, vamos ver se você sabe fazer frações. E depois, de repente, começa um problema que é muito mais fácil. Talvez você acerte, nesse caso o sistema pode dizer parabéns, vamos voltar à pergunta inicial. Ou talvez você tenha entendido errado, nesse ponto é inútil dar-lhe as perguntas difíceis - é muito, muito mais inteligente dar-lhe as perguntas fáceis. É tipo o que um bom professor faz, certo?

Falando de IA, como você se sente com nota e feedback automatizado? Ele pode se tornar tão hábil, ou melhor, do que um professor humano?

Um atribuidor de notas para um programa de computador é chamado de compilador. Está certo ou errado e há programas de computador que podem ajudá-lo. E mesmo assim não é completamente trivial. Se você quiser provar um teorema, não é totalmente óbvio como avaliar um teorema, mas em geral é fácil. Compare isso com o diálogo crítico em filosofia, discurso em filosofia. Não, é realmente a sutileza de sua linguagem que faz toda a diferença e muito mais - não é só sobre a avaliação, não se trata de dar nota, é também sobre feedback. Quando alguém escreve uma redação, você quer dar feedback significativo para que eles possam melhorar. Eu vi um bom progresso na avaliação das redações; eu vi quase nenhum progresso no feedback qualificado. E é aí que você tem uma opinião muito simples - é só você delegar pessoas para fazer isso. Nossas aulas agora exigem redação e as redações estão sendo avaliadas por pessoas e não tem problema, na minha opinião. Por que não? Há um grande número de pessoas desempregadas no país. Eu não acho que tem que ser tudo informatizado.

Onde você espera que a Udacity esteja daqui cinco anos?

Eu acho que nós vamos ser como uma universidade, mas vamos ser uma universidade para o século 21.

Para deixar seu comentário, por favor, regístrate ou efetue seu login

Esqueceu sua senha?

Publicidade

Vídeo

Inovadores com menos de 35 anos Brasil

Mais Vídeos

Informes Especiais

Uma Cura para os Gastos com Saúde

Os gastos com a saúde estão fora de controle. E a inovação em medicamentos, testes e tratamentos é o motivo. Mas e se a tecnologia pudesse ser uma forma de poupar dinheiro ao invés de gastá-lo?

Ganhando Com Dispositivos Móveis

Publicidade
Publicidade