Negócios

Plano da Akamai Para uma Via Rápida de Dados Sem Fio

Redes sem fio sobrecarregadas impulsionam um plano para acelerar dados para smartphones, por um preço.

  • Segunda-feira, 1º de abril de 2013
  • Por David Talbot
  • Tradução por Milena Dropa - Opinno

Não importa quão rápido você envia dados através da Internet, o último elo é cada vez mais uma conexão sem fio a um smartphone ou tablet de um cliente. Essas conexões são mais lentas e, por vezes, congestionadas. Atualmente, enquanto um desktop comum carrega páginas da Web em dois a três segundos, a página Web média móvel leva cerca de oito segundos - às vezes levando compradores a abandonar operações.

Agora a Akamai, com sede em Cambridge, Massachusetts, está trabalhando com vários parceiros para o estabelecimento de uma espécie de "via rápida" nas ondas de rádio das quais a transmissão sem fio depende. Isso permitiria que as empresas pagassem mais para ter a sua página da Web ou dados de aplicativos transmitidos mais rápido que os de outros. O movimento da Akamai é parte de um crescente esforço para descobrir como fornecer informações para seu telefone de forma mais rápida (ver "Novo CEO da Akamai Visa Acelerar a Computação Móvel"), mas isto poderia levantar questões de justiça, dependendo de quanto o serviço premium aumenta o tempo de espera para as pessoas que não pagam mais.

A Akamai já é a grande atuante para acelerar a Internet fixa, aquela que opera através de cabos de fibra óptica e de cobre no solo. A empresa mantém 120 mil servidores em 1200 redes em 81 países, onde hospeda conteúdo da Web para seus clientes perto de locais de esperada demanda. Agora, a empresa está fazendo parceria com a Ericsson, a empresa sueca que forma 40% das estações  de base sem fio (antenas de rádio em topos e laterais de edifícios, que transmitem dados para o seu telefone), para trazer o mesmo conceito para o reino sem fio.

A nova tecnologia da Akamai-Ericsson - chamada Mobile Cloud Accelerator - se constrói no caminho em que as operadoras sem fio já dão prioridade às chamadas de voz sobre outros dados. Agora, para evitar conversas agitadas, as operadoras móveis colocam dados associados a chamadas de voz no início da fila, à frente de mensagens de texto, e-mails, vídeos ou fotos. Sob os novos protocolos, as empresas podem pagar para acessar um nível de serviço de dados premium. Nos ensaios de tecnologia da Akamai ao longo do ano passado em redes sem fio na Europa, uma típica página da Web móvel de 200 kilobytes, que levavam entre 3,5 segundos e 7 segundos para carregar, seria carregada em 1 a 3 segundos, quando colocada na via rápida.

Lior Netzer, vice-presidente de redes móveis da Akamai, diz que espera que o novo serviço tenha um efeito minimamente mensurável sobre o outro tráfego, mesmo quando 10% da capacidade da rede tenha sido reservada para o conteúdo premium. Akamai acha que mesmo que os atrasos sejam perceptíveis em coisas como e-mails e downloads de fotos, a troca disso pela conclusão rápida de uma transação importante como a compra de uma passagem aérea, valeria a pena para os consumidores.

As empresas que podem querer pagar extras incluem bancos e todos que tenham qualquer esperança de fechar uma venda. O novo serviço iria produzir um novo fluxo de receita. A Akamai, que planeja executar o serviço a partir de seus servidores, iria dividir a receita com os fabricantes de equipamentos como a Ericsson, que instalam a tecnologia, e com as operadoras de telefonia móvel que irão utilizá-lo em suas redes.

À medida que a quantidade de dados em redes sem fio aumenta, qualquer esforço para tratar alguns bits diferentemente dos outros pode gerar preocupações. Nos últimos anos, alguns acadêmicos e juristas têm defendido um conceito chamado de neutralidade da rede, que em sua mais pura interpretação significa que nenhum serviço de Internet ou governo devem tratar os dados de forma diferente, ou cobrar de forma diferente, com base em seu conteúdo.

Por exemplo, no final de 2011, a Comissão de Comunicação Federal dos EUA emitiu regras que proíbem as empresas que prestam serviços de Internet ou sem fio de bloquear o acesso a qualquer site ou aplicativos (exceto os ilegais), mesmo nos casos em que as empresas, como o Skype, podem usá-los para oferecer serviços que competem com os negócios de uma operadora.

No entanto, a doutrina de neutralidade da rede não é geralmente interpretada como algo que impede as pessoas de pagarem a mais por um serviço melhor. Afinal, muitos clientes já pagam por uma conexão de Internet mais rápida em sua casa ou escritório.

Ainda assim, o novo esforço sem fio da Akamai é diferente porque o espaço em redes sem fio é muito mais escasso do que o espaço em redes de fibra ótica. A ideia, portanto, poderia penalizar não-assinantes mais fortemente, diz Wendy Seltzer, companheiro do Projeto de Informação à Sociedade da Escola de Direito de Yale. "Aqui, se ninguém tirar proveito desta tecnologia de priorização, não está claro que não vão se tornar mais lentos", diz Seltzer. “Eu não tenho certeza que seja necessariamente ruim por causa disso. Mas pode não ser puramente neutro.”

Para deixar seu comentário, por favor, regístrate ou efetue seu login

Esqueceu sua senha?

Publicidade

Vídeo

Inovadores com menos de 35 anos Brasil

Mais Vídeos

Informes Especiais

Uma Cura para os Gastos com Saúde

Os gastos com a saúde estão fora de controle. E a inovação em medicamentos, testes e tratamentos é o motivo. Mas e se a tecnologia pudesse ser uma forma de poupar dinheiro ao invés de gastá-lo?

Ganhando Com Dispositivos Móveis

Publicidade
Publicidade