Blog dos Editores TR

Trabalhando Junto Numa Economia de Rede

Inovação Distribuída e Criatividade, Produção Colaborativa e Bens Comuns numa Economia de Rede.

Yochai Benkler 16/05/2014

Há uma década, a Wikipedia e softwares de código aberto eram tratados como meras curiosidades em círculos de negócios. Hoje essas inovações representam um desafio central para a forma como pensamos sobre propriedade e contrato, a teoria da organização e a gestão ao longo dos últimos 150 anos.

Pela primeira vez desde antes da Revolução Industrial, as entradas de alguns dos setores econômicos mais importantes são distribuídas radicalmente pela população, e os recursos de capital essenciais necessários para essas atividades econômicas tornaram-se amplamente disponíveis nos países ricos e entre os mais ricos da população de economias emergentes. Esta viabilidade tecnológica da produção social em geral, e produção colaborativa - o tipo de colaboração em rede das quais a Wikipedia é o exemplo mais proeminente - mais especificamente, está interagindo com a alta taxa de mudança e da complexidade crescente da inovação global e sistemas de produção.

Cada vez mais na literatura e na prática empresarial, vemos uma mudança em direção a uma gama de inovações e modelos que permitem maiores fluxos de informação, talento e projetos entre as organizações.

A produção colaborativa, a inovação organizacional mais importante que surgiu a partir da prática social mediada pela Internet, é uma grande escala colaborativa de grupos engajados, com indivíduos que se reúnem para fazer produtos mais complexos do que eles são capazes de fazer sozinhos. Organizacionalmente, isso combina três características principais: descentralização da concepção e execução de problemas e soluções; aproveitamento de diversas motivações; e governança e gestão separadas da propriedade e dos contratos.

Estas características tornam a produção colaborativa altamente hábil em experimentação, inovação e adaptação em mudanças e ambientes complexos. Se a Web foi a inovação em um modelo baseado em bens comuns - atribuindo acesso e direitos de uso de recursos sem dar a qualquer pessoa os direitos exclusivos para excluir uma outra - a inovação organizacional da Wikipedia está na resolução de problemas.

O modelo de conteúdo gerado por usuários da Wikipedia incorpora conhecimentos que simplesmente não podem ser bem geridos, ou porque ele é de conhecimento tácito (possuído por indivíduos, mas difícil de comunicar para os outros), ou porque ele é espalhado entre muitas pessoas para se atribuir um contrato. O modelo de conteúdo gerado pelos usuários também permite que as organizações explorem um espaço com diversos interesses e gostos que é muito caro para as organizações tradicionais explorarem.

A produção colaborativa permite uma grande variedade de pessoas, independentemente da filiação, para avaliar e reavaliar de forma dinâmica os recursos disponíveis, projetos e potenciais colaboradores e para se auto atribuir em projetos e colaborações. Ao deixar esses elementos à dinâmica de auto-organização, a produção colaborativa vence as perdas dos mercados e suas burocracias, e a suficiência dos seus benefícios é que a prática tem sido amplamente adotada por empresas e até governos.

Em uma economia de informação em rede, as práticas baseadas em práticas comuns e inovação aberta fornecem um modelo evolutivo típico pela experimentação repetida e adoção de uma adaptação bem sucedida em vez da mais tradicional, estilo das abordagens da engenharia para a construção de sistemas otimizados.

As produções, colaborativa e de bens comuns, são casos extremos de uma ampla gama de estratégias de abertura que a escolha entre a liberdade dessas duas abordagens e a capacidade de gerenciamento e da apropriação, que muitas organizações mais tradicionais procuram preservar. Algumas empresas estão usando concursos e prêmios para diversificar a gama de pessoas que trabalham em seus problemas, sem ceder o controle contratual sobre o projeto. Muitas companhias estão participando de redes de empresas envolvidas em uma série de práticas de inovação colaborativa abertas com um conjunto mais gerenciável de pessoas, recursos e projetos para se trabalhar do que um projeto totalmente aberto-para-o-mundo. E os polos de inovação ancorados em torno das universidades representam um modelo empresarial na borda da academia e dos negócios, em que as universidades permitem o investimento em inovação altamente incerta, e as empresas investem em modelos de altos risco e recompensa.

Para ler o artigo completo, clique aqui.

Yochai Benkler é professor de estudos de empreendedorismo legal na Escola de Direito Berkman na Harvard e co-diretor docente do Centro Berkman para Internet e Sociedade da Universidade de Harvard.



Para deixar seu comentário, por favor, regístrate ou efetue seu login

Esqueceu sua senha?

Publicidade

Vídeo

Inovadores com menos de 35 anos Brasil

Mais Vídeos

Informes Especiais

Uma Cura para os Gastos com Saúde

Os gastos com a saúde estão fora de controle. E a inovação em medicamentos, testes e tratamentos é o motivo. Mas e se a tecnologia pudesse ser uma forma de poupar dinheiro ao invés de gastá-lo?

Ganhando Com Dispositivos Móveis

Publicidade
Publicidade