arXiv blog

A Busca Por Energia Residual de Civilizações Extraterrestres

Se elas estão lá fora, outras civilizações avançadas devem estar emitindo energia residual, como calor. E essa é uma boa maneira de encontrá-los, dizem especialistas do SETI.

The Physics arXiv Blog 27/08/2014

Em 1974, o astrônomo norte-americano Michael Hart publicou um artigo no Quarterly Journal da Royal Astronomical Society, intitulado "Uma Explicação Para a Ausência de Extraterrestres na Terra". No artigo, ele ressaltou que não há seres inteligentes do espaço na Terra agora, uma declaração que ele denominava Fato A e que ficou bastante famosa.

"O fato A, como todos os fatos, requer uma explicação", escreveu Hart. Ele continuou sua argumentação até concluir que o Fato A pode ser explicado pela ausência de vida inteligente do espaço. Em outras palavras, estamos sozinhos na galáxia.

O artigo de Hart aborda o paradoxo de Fermi, assim nomeado em homenagem ao físico Enrico Fermi, que fez uma pergunta, hoje muito famosa: se existem extraterrestres inteligentes, onde estão eles? De fato, os argumentos de Hart tornaram-se tão famoso que o problema é muitas vezes chamado o paradoxo de Fermi-Hart.

Hoje, Jason Wright da Universidade do Estado da Pensilvânia e alguns colegas revisitaram o argumento de Hart, suas várias réplicas e muitos outros artigos associados ao paradoxo de Fermi. Em especial, eles se concentram na possibilidade de que civilizações extraterrestres emitem calor residual gerado por suas atividades. Portanto, uma forma útil para procurar por civilizações extraterrestres seria olhar para a assinatura infravermelha destes resíduos.

O problema básico da ideia de que existe vida inteligente em outras partes da galáxia é que o Sol é uma estrela comum e que há muitos milhares de milhões de outras estrelas como ele na Via Láctea. Muitas delas terão planetas como a Terra orbitando-as, então deve ter havido muitas oportunidades para a vida inteligente evoluir em outros lugares.

Além do mais, se qualquer uma dessas civilizações começasse a explorar o espaço interestelar ao seu redor, mesmo na velocidade extremamente baixa que os seres humanos conseguem atingir, levaria apenas algumas dezenas de milhões de anos para colonizar a galáxia inteira.

Então, o fato de que nós não vemos vida inteligente lá fora, deve significar que ela não existe. Em outras palavras, somos a primeira e estamos sozinhos.

Wright e col. estendem o argumento de Hart para os suprimentos de energia alienígena. A ideia básica aqui é que qualquer civilização avançada exigiria enormes quantidades de energia e a fonte mais provável dessa energia é a estrela que orbita. No entanto, essa energia usada deve, inevitavelmente, acabar como calor residual que deve ser visível no infravermelho.

"Nós argumentamos que pode ser plausivelmente esperado que grandes fontes de energia existam, porque a vida tem o potencial para o crescimento exponencial até que seja limitada por recursos ou alguma outra coisa, e a inteligência implica a capacidade de superar tais limitações", diz Wright e col.

E eles chegaram a uma conclusão estranha. Wright e col. dizem que, se a tese de Hart está correta, se estamos sozinhos na galáxia, então, a procura por grandes civilizações extraterrestres em outras galáxias pode render. E se ele estiver incorreto, então, a busca por outras civilizações na Via Láctea tem maiores chances de sucesso do que Hart argumentou.

Em outras palavras, vale a pena continuar a procurar civilizações extraterrestres. Um argumento curioso, mas construído sobre uma revisão abrangente da busca por civilizações extraterrestres e suas fontes de energia.

Vale a pena ler se você quer uma boa revisão da literatura científica nesta área.

Ref: arxiv.org/abs/1408.1133 : The G Infrared Search For Extraterrestrial Civilizations With ˆ Large Energy Supplies. I. Background And Justification

Para deixar seu comentário, por favor, regístrate ou efetue seu login

Esqueceu sua senha?

Publicidade

Vídeo

Inovadores com menos de 35 anos Brasil

Mais Vídeos

Informes Especiais

Uma Cura para os Gastos com Saúde

Os gastos com a saúde estão fora de controle. E a inovação em medicamentos, testes e tratamentos é o motivo. Mas e se a tecnologia pudesse ser uma forma de poupar dinheiro ao invés de gastá-lo?

Ganhando Com Dispositivos Móveis

Publicidade
Publicidade